segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Eco




Ás vezes pergunto-me quantas vezes já envelheci.
Quantas já terei sido, o que fiz quando ainda não me conhecia e em que sítios já vivi.
Devia lembrar-me, mas por muito que me esforce, ainda não consigo. 

Dizem que é no interior que se encontram as respostas, mas quando se abrem as costelas o que bombeia lá dentro é apenas o peso do eco. E assim ficamos escancarados ao público, à mercê de uma plateia que se pode tornar sangrenta, se todos se lembrarem de gritar e de cuspir lá para dentro. **

Read More...

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Fomos mas Voltámos


 
 
Era uma vez um gato a quem todos chamavam tolo.
Ele não sabia o que era o Facebook, nem o Instagram, nem o Twitter, nem o Google +, nem o Blogger, nem nada dessas coisas. Ele era muito feliz.
Um dia, vendo os homens à sua volta muito agitados e exaltados e desesperados, ele olhou com desdém para todos eles, soltou o maior bocejo da vida dele, virou-se para o lado e continuou a dormir. Fim.

Moral da história: O Charly é que sabe.
* voltámos *

Read More...

terça-feira, 7 de julho de 2015

Abraço

Um a um foi guardando-os na sua cabeça, sem sequer tentar entender porque sentia o que estava a sentir.
Era uma rotina banal e também já tinha sido uma infância, que se perdeu nos movimentos dos braços que pressupunham os anteriores coletes de forças.
Não se sabe quanto tempo durou, mas quando terminou, tentou esquecer-se deles para que tudo o resto também se esquecesse de si.
Tudo o resto menos Ela, porque foram precisos 3 anos para se soltar e iria precisar de apenas uns segundos para reaprender a dar um abraço. **

Read More...

terça-feira, 30 de junho de 2015

Ideal

Os ideais de beleza são uma ilusão, onde o corpo não é nada mais do que uma paisagem abandonada, opressiva, dissecada e que antes mesmo de saber respirar, já era inteiramente egoísta. **

Read More...

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Maria Capaz Liliana

Podem chamar-me Maria que eu deixo. Maria Capaz Liliana.

[ Aqui ]

* Ilustrar cobre grande parte do meu mundo. *

Read More...

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Vai mas Volta

Elas vão mas voltam e é nessas alturas que me apercebo, que afinal nunca chegaram a sair 'daqui'.
Por vezes crescem, outras vezes nem por isso.
Tal como no dia a dia, é tudo uma ilusão, que depois se transforma em inúmeros cenários. **

Read More...

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Sardinhas rima com Alfama... : )

Já cheira a fim de semana.
E também já cheira a sardinhas, a pimentos, a bifanas, a farturas... ; ) **

Read More...

terça-feira, 19 de maio de 2015

Duas palavras

Por vezes julgamos ter perdido qualquer coisa, mas na maioria das vezes não se perdeu nada.
Rigorosamente nada.
E durante todo esse tempo de procura o corpo fica a balançar...
Corta-se, recorta-se e amontoam-se vários pedaços.
É desgastante, incansável, encenado e fascinante.
Mas nunca se perdeu nada.
Tudo se resume a duas palavras: Equilíbrio e Amor. **

Read More...

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Quantos são?...

 
 
Quando acordo de manhã, nunca sei quantos vamos ser aqui em casa...
E hoje somos 3. **

Read More...

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Não tenho nada de especial para dizer

...
A verdade é que por vezes é mais fácil deixar os desenhos falar e colocar as palavras de lado. **

Read More...

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Bom...

... fim de semana. **

Read More...

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Love

**

Read More...

quinta-feira, 9 de abril de 2015

E ela ali ficou. E eu continuei.

Ficou de pé atrás ao imaginar-se entrar lá para dentro.
Enquanto se questionava se iria faltar-lhe o ar, continuou a atar nos tornozelos aquela lista imensa de palavras certas e sentiu um sentimento de culpa enquanto olhava de esguelha para a sua botija de ilusões.
Elas ali ficaram, abandonadas à sua sorte, largadas na beira de uma mancha que podia muito bem ser um rio; e uma a uma, foram se alinhando do lado de fora da sua cabeça.
Como ficou vazia pensou conter a respiração lá bem no fundo, mas um traço na altura certa colocou-lhe os pulmões a salvo.
Enquanto tudo se transformava à sua volta e se perguntava qual era afinal o caminho, a minha mão incansável respondia-lhe com mais algumas linhas... e com mais alguns traços.
E ela ali ficou. E eu continuei. **

Read More...

segunda-feira, 23 de março de 2015

... desde 2008. **


Read More...

terça-feira, 17 de março de 2015

A ilustrar sempre me encontro...

Volta e meia desapareço... mas a ilustrar, sempre me encontro. ; )
 

Então aqui ficam estas 3 personagens, que têm andado aqui por casa já há algum tempo e só agora de comum acordo, decidimos que estava na hora de com um clic, as soltar para todo o sempre. **

Read More...