segunda-feira, 14 de abril de 2008

Cabelos ao vento..

Ou será vento nos cabelos?.. **

12 comentários:

soYa ToYa disse...

Boa pergunta!
Os meninos é que vão gostar muitodesta tua nova ilustração!!

Elas vão-se constipar Lil!

:p

Azelpds disse...

Pois é, com tanto vento ainda apanham um resfriado. :p

Gosto especialmente dos olhos de ambas, uma mais compenetrada, e a outra com aquele je ne sais quois provocador, de paixão, quase evil até, do "quero-te!", aqui, neste momento.

liliana_lourenco disse...

Soya:

Elas não se constipam Soya. Antes de as colocar 'aqui' certifiquei-me de que havia aquecimento suficiente para ambas, ou achas que sou uma irresponsável? :D

Azel:

:) Sim, é isso mesmo. :)
'Quero-te!', diz ela.. para ela. :)

E com isso tudo é claro que o ambiente aquece, daí a refrigeração, ventido e tal para arrefecer as coisas.. senão a ilustração já nem era esta. Já era outra. Aaah pois é.. :D

**

EVA disse...

...........Ventos con cabellos!!!
Muy buena la frase

Besos guapa

liliana_lourenco disse...

:)

Besitos! :)
Já passo pelo teu blog! :)

**

7ze disse...

Ritmo infernal! Mais uma ilustra antológica.

Pescadinha de rabo na boca... o ciclo que se fecha e não acaba; as curvas capilares que disparam em várias direcções e camuflam um S no peito que não é nenhum cabelo caído mas uma contorção comunicativa bastante mais sensual que a respectiva diversão, o ícone concêntrico do mamilo descoberto...

Liliana: conseguiste que confunda cabelo com vento! Há bocado senti uns cabelos a roçarem-me o rosto, mas não, não passava de ilusão, ventava! Inventava cabelos onde e quando corria apenas uma aragem. Fusão ou confusão? Não interessa, cada um/a que sinta o que quiser.

A garrafa está sempre meio-cheia para o anfitrião; e meio-vazia para o convidado!

Moral da ilustra: meninas, desprendei os cabelos, que o vento há-de enfunar-vos! Vento: arrebata-lhes o cabelo, quero sentir um calafrio a percorrer-lhes todo o picotado!

dina disse...

vento nos cabelos sem dúvida :)

liliana_lourenco disse...

7ze:

Obrigada! :)

**

Dina:

Se achas que sim, então é isso mesmo. :)

**

7ze disse...

Soya,

o teu nome faz-me lembrar como acaba o célebre Soneto de Camões:

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já foi coberto de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

7ze disse...

Soya:

Os meninos gostaram!

Mas o S, é de sexo ou de sensual?

Há uma nuance... Há nesta ilustra uma força que nenhum close up porno pode possuir.

Mas acho que isso é pouco relevante para este caso. As ilustras da Liliana têm sempre muito mais do que parece à primeira vista. Depois de muito olhar, quase que lhes senti os cabelos; e julgo que as ouvi (devia estar a favor do vento) a cochichar... Estão, isso sim, a contar um Segredo! Um Secreto desejo, que a amiga partilha e incentiva.

Voltando à sensualidade: há um segundo mamilo, menos descoberto, na da esquerda. Dois mamilos e um único umbigo, num funil exterior perfeito... Serão primas ou uma só?

O tácito, o implícito, têm uma força que nunca poderá ter o explícito!

S de silêncio, também

...

..

.


.


.

Diana Amaral disse...

Parabéns!! Trabalho excelente!!! Parabéns também pelo blogue.

liliana_lourenco disse...

Olá Diana!

Obrigada pelo comment! :)
Já passo a visitar o teu blog também. :)

**