sexta-feira, 4 de junho de 2010


12 comentários:

7ze disse...

Tanto pássaro. Ainda levamos com uma cagadela na cabeça!

São pombos ou águias? Ilustra estranha e enganadora.

Arriscas-te a que a geração da «facilidade» faça uma leitura redutora... Já estou a imaginar os «artistas gráficos» que sabem de software (por melhor que sejam os seus programas de desenho, isso não os ensina a desenhar): «_Ah, assim também eu: saco uns contornos, encho os perfis, duplico-os, umas cagadelas, e já está!...» Depois, algum, um pouco mais atento, vai reparar que espelhaste um dos clones, talvez se sinta mesmo superior, por conhecer uns efeitos «mais à frente», ou pensará: «Podia ter rodado um angulozito, para disfarçar...»

Pois. Mas, olhem, meninos, da aparente simplicidade, emerge um ambiente muito difícil de definir. Comecem por traçar linhas unindo os clones, depois corrijam pelos eixos do olhar dos pássaros, e tentem chegar a uma conclusão.

Mas não se deixem confundir, pois a Liliana é como os pássaros que podem ver nas alturas, única e irreprodutível.

Mais vale deixarem os dois pássaros voar, que julgarem que deitaram a mão a algum!

P.S. Não sei porquê, faz-me lembrar a batalha de Inglaterra. Deve ser a sugestão dada por alguns eixos do tracejado, a fazerem lembrar os holofotes das baterias anti-aéreas.

liliana_lourenco disse...

:)

Não te preocupes tanto com o que os outros poderão pensar de mim. ;)

Não me considero melhor nem pior do que ninguém. Sou eu apenas. E também faço clones. :D

A imagem pouco ou nada tem para descodificar porque não foi feita com esse intuito. É mais para encher os olhos do que a alma.

Mas obrigada pela 'defesa' e comentário. :) **

7ze disse...

Liliana:

Tem, tem. Não defendas a tese de arquitecta inconsciente... Podes é produzir sub-conscientemente, mas estás lá; a sensciência que, de qualquer forma, é a base do verdadeiramente «belo» está-te no sangue.

Sangue, suor e lágrimas, deveríamos acrescentar «Amor»? Não queiras esconder o valor acrescentado; se não «prestasse», sabes bem que não o deitavas cá para fora. Espero que saibas dar valor ao quanto te «custa».

Ok; eu apresento-o contra uma geração inteira? Não é apenas para te distinguir, porque gosto; é perfeitamente justo.

Como adquiriste esse condão? Pergunta à tua madrinha; mas é um facto indubitável...

O teu objectivo não é «encher» chouriços ou sequer olhos; enchido p'ra alma já soa melhor. Permite-me que discorde do que dizes, baseada (apenas) na tua (louvável) humildade.

liliana_lourenco disse...

Sim, claro, uma coisa é bem verdade: Tudo o que aqui coloco, tem o seu significado e o seu valor. Que mais não seja para mim.

Esta ilustração não foge à regra. Mas não foi feita com intuito de fazer ninguém pensar. Foi feita de mim para 'alguém' que é como quem diz, de mim para mim. ;)

De qualquer modo, tendo em conta os pensamentos que lhe fizeram ganhar forma, achei que merecia estar aqui.

Mas obrigada pelo comentário e pela parte que me toca. :)

Bom fim de semana. :) **

Diana Amaral disse...

Adorei! Não sei porquê, deu-me uma enorme sensação de liberdade!

liliana_lourenco disse...

Então ainda bem Diana.. :) **

dina disse...

LINDOOOOOOOOOOOOOOOO

liliana_lourenco disse...

Obrigadaaaaaaaaaaaaaaaa

.. :) **

maria madeira | antónio rodrigues disse...

Também não é preciso pôr sempre as pessoas a pensar ao atribuir significado às imagens. Às vezes estas valem pela sua beleza. Cada um faz a leitura que entende.

LINDO :)*

liliana_lourenco disse...

Sim, nem sempre há essa necessidade.

O importante mesmo é sentir, sentir, sentir.

Ás vezes perdemos tanto tempo a tentar atribuir significados às coisas que nos esquecemos de simplesmente as sentir, ou viver, ou desfrutar, ou admirar.. :)

Beijinhos e obrigada pelo comentário. :) **

Ela adormecida disse...

voar. bater as asas. humm.. respirar fundo. e os pássaros na tua mão.
adoro*

liliana_lourenco disse...

Voar e de preferência sem medo de voar alto.. ;)

Beijinhos! **