segunda-feira, 10 de março de 2008

O dia em que nasci...

Quando eu era pequena, pequenina, nunca acreditei que tivesse sido uma cegonha a trazer-me no bico, enrolada numa fralda, para me entregar aos meus pais. Onde é que já se viu?? Que ideia mais descabida?! Tss!

Eu acreditava que eu tinha nascido no topo de uma árvore, a árvore mais alta da Floresta!!!
Depois os meus pais tinham lá ido buscar-me porque eu já tinha muita fome.

Como é que me tiraram de lá, com essa parte nunca me preocupei.
O importante era que eu lá estava à espera deles.
E como é que eu lá tinha ido parar, também nunca perdi tempo a pensar nisso. :)

Na altura não sabia o nome das árvores mas fascinava-me passar por Pinheiros ou Eucaliptos porque tinha a certeza absoluta que tinha sido no topo de uma daquelas árvores, que eu tinha nascido.

Ainda hoje quando passo por Pinheiros ou Eucaliptos ponho-me a olhar lá para cima...
:)
Saudades... [ muitas... ] **

16 comentários:

Azelpds disse...

:)

soYa ToYa disse...

Que giroooooooo!

Eu recordo-me de também não acreditar na bela história da cegonha que vinha de Paris!!!

Realmente, inventam com cada história mais parva!!!

Quando a minha irmã era pikena, ofereci-lhe um livro muito giro: "A mamã pôs um ovo", para ela ser uma criancinha informada, e não cair nas petas de: "Ah, os Bebés nascem de sementes que se põem num vazo, etc".

liliana_lourenco disse...

Obrigada. :)

Eu também nunca fui de acreditar muito nessas coisas que me contavam.
Pelo menos nessas histórias mais clássicas, da cegonha, Pai Natal e por aí fora, não.

Mas acreditava por exemplo que os mosquitos de noite se transformavam em vampiros e também acreditava que a minha avó de noite se transformava numa barata gigante e muito gorda entre muitas outras tolices.. Enfim. Sempre tive um imaginação demasiado fértil.

Ah mas as cegonhas vinham de Paris era?
Olha nem sabia dessa parte! :)

Acho que fizeste muito bem em oferecer esse livro à tua irmã.
É muito mais didáctico do que estar a encher a cabeça das crianças com coisas que às vezes só lhes vão criar é mais dúvidas e confusões!

Eu falo por experiência própria. Era com cada coisa que me diziam que eu ficava mesmo com a cabeça confusa, depois olha, o resultado que se vê é este: sou meio doida e tal, mas nada de grave por enquanto. :p

**

soYa ToYa disse...

Lembrei-me desta história que...olha, só contando: Natal.
Como passava sempre o natal na casa dos meus avós, fomos habituadas de que só se abria as prendas á meia-noite quando o pai natal batesse na janela! Sim, não havia lareira, e como era no R/C o Barbudo batia na janela!

Não sei se estás bem a ver o que é depois do jantar, cada vez que eu e as minhas primas ouvíamos "toc toc" íamos a correr todas felizes e contentes em direcção às prendas como se não houvesse amanhã! Mas, havia sempre alguém que dizia que não era meia-noite.

Mais nada a acrescentar

carmen encinas "PIRIÑACA" disse...

Que bella história ... Nascida nas árvores ...
É bom lembrar que estamos a pensar quando somos crianças ........

liliana_lourenco disse...

Ahah!
Gostei dessa do Pai Natal bater à Janela! Ora aí está mais uma interessante versão! :)

Mas pois, existem sempre aquelas crianças mais perspicazes que decidem logo por os pontos nos 'is'. :)

É assim mesmo!!! :p

**

Olá Carmen!

Ainda bem que gostaste da história.
É sempre bom não deixarmos as nossas memórias de infância apagarem por completo.. :)

**

estrelanomar disse...

Olá :)

Com que então, tão pequenina e já alpinista?
Engraçado...em cima de um árvore... nunca me passaria pela cabeça!

Adorei todos os desenhos que não tinha visto até agora. Bom material para ezposição!

AnaPalma disse...

É assim eu cá vim da cegonha. E, sim, acredito no Pai Natal. Foi o que sempre me disseram e é no que vou continuar a acreditar. E, se vocês abrissem os olhos e vissem as coisas tal como elas são não se punham a inventar coisas parvas como: Eu nasci da barriga da minha mãe?!
Por amor de Deus!(ele também existe). Mas isso tem algum cabimento? E, não querendo ofender ninguém, é um pouco nojento

liliana_lourenco disse...

Estrelanomar:

Olá! Sim, apesar de agora ter muito medo de alturas, ao que parece na altura não tinha. :)

Ana:

Mas é claro que tu acreditas no Pai Natal! Afinal tu és a Mãe Natal!!! :) :) :p Tinhas mais era que acreditar no gordo do teu esposo!

Quanto às cegonha, lamento informar-te mas foste enganada.. pois.. as cegonhas nem sequer existem. Eu nunca vi nenhuma. E se vi, devo ter visto mal de certeza. Não devia ser um cegonha mas sim um pombo em escala ampliada.

**

7ze disse...

Estrela:

Já o Leãozinho tinha falado nisso. A Liliana tem de expor! Subscrevo. Alguém tem de tratar disso, porque a Liliana tem de se concentrar nas ilustras!

Quem se oferece?

Sara Teixeira disse...

Muito fixe... eu que adoro árvores então, ainda não me tinha lembrado desta;) Gostei, acho que te vou "roubar" a inspiração! A partir de hoje também quero nascer de uma árvore, de um bosque encantado, fixe não achas?
As ilus continuam sempre fabulosas;)

liliana_lourenco disse...

7ze:

:) Obrigada.. :)
Bem, pelo menos já sei que se um dia isso acontecer, tu, a Estrela no mar e o Leãozinho aparecem por lá.. certo? :) Thanks! :)

**

Sara:

Ok. A partir de hoje se quiseres também podes mudar a tua história e passas a ter nascido numa árvore. Agora só tens que escolher a tua. :)

Eu acreditei mais ou menos até entrar para a escola que tinha nascido numa árvore. É que eu não andei no infantário, ficava em casa com a minha mãe e então olha, a imaginação que já na altura ao que parece era muita, crescia naturalmente.. :)

**

7ze disse...

Liliana:

Já que mais ninguém se oferece, ofereço-me eu. O que achas?

Ezpo-LiliAna-Xanta

Uma dúzia de escolhidos impressos à mão.

E eu quero convite para a inauguração.

liliana_lourenco disse...

;)

Eheh!.. obrigada pela sugestão 7ze.
Prometo que vou pensar nisso.

Por acaso o Xanta costuma lá fazer umas expos e algumas bem interessantes. É sem dúvida alguma algo a pensar. E sim, claro que na altura recebes logo um convite.
O primeiro será para o Sr. 7ze.
:p :p

**

7ze disse...

Conheço uma rapariga que tem o traço adequado sobre tela. Dás licença que lhe dê um print de uma ilu tua tirada do blog e lhe peça uma amostra? Submeto-te por e-mail o resultado e se gostarmos, posso tratar da cena? Falo com o Artur e trato de tudo, só tinhas vir à inauguração. Eu adianto o guito para as telas e depois, da eventual receita, retiram-se as despesas e pagam-se as duas: senão (o que não acredito) fico a arder com o € mas a ganhar uma colecção inteira tua em suporte físico. Se quiseres manter a surpresa, apaga a mensagem e envia-me um mail (7ze azul).

Se não gostares da ideia, pronto, não se fala mais nisso, desculpa, ocorreu-me assim de repente.

Um abraço desconhecido não suficientemente anónimo

liliana_lourenco disse...

:)eheh!..

Não é preciso apagar a tua mensagem, porque acho que não tem nada de mal.
Mas prefiro falar contigo por e-mail pode ser?

Não percebi qual teu e-mail, mas aqui fica o meu: black_magic_baby@hotmail.com

Envia-me um e-mail para que eu te possa responder. Obrigada!

**